27.11.17
postado por Beatriz na categoria Bella Hadid
“Quando vejo todas essas pessoas, eu quero abraçá-las!” diz Bella sobre fãs em nova entrevista

Tem uma certa semelhança com os seus predecessores. Morena, com maçãs do rosto cinzeladas, sobrancelhas poderosas e traços desenhados com precisão, Bella Hadid lembra Carla Bruni e Isabella Rossellini, as musas da Bulgari. A meio americana-palestina é, há um ano, embaixadora da empresa de jóias italiana. “É icônico, reconhecível… maravilhoso. Trata-se de uma mulher elegante e confiante . Sou apaixonada por seus diamantes e pelo novo perfume [Goldea The Roman Night, da qual é o rosto]; Não é um floral normal, tem uma faceta masculina que é demais” assegura a modelo de 21 anos. Ela é onipresente: ela atuou em uma dúzia de capas em setembro; tem contratos com muitas marcas e sua vida se esgueira no celular e as telas da metade do mundo através de redes sociais.

Também representa a febre da “hadidología”, um termo usado por vários meios de comunicação em referência à obsessão que ela e sua irmã Gigi desencadearam. Como você gerencia a atenção de seus fãs, sempre pendente? “Isso me atinge, às vezes me transborda e me deixa nervosa. Mas é uma honra. Tudo aconteceu tão rápido… Não posso superar meu espanto. Estou bem. Bem, às vezes eu quero sair sem maquiagem e calças esportivas e percebo que não posso [risos], mas eu me sinto grata. Eu quero abordar a fama com humildade: quando vejo todas essas pessoas, eu quero abraçá-las!” Ela exclama e ri. Talvez ela não queira abraçar o jornalista que apenas a entrevistou porque, antes de entrar, eles nos avisam: “Você não pode perguntar sobre suas origens, sua irmã Gigi e sua família política, ou sua doença [Lyme, responsável, entre outros.”

O entrevistador deve ter tocado a chave errada. A aparência de sua irmã Gigi com um hijab na capa da Vogue Arabia em março passado levantou questionamentos: ela foi acusada de apropriação cultural. A manchete escolheu Bella em setembro e no Twitter se iniciou o debate: “Ela nunca esteve na Palestina, não fala árabe, ela não respeita as tradições”. Outros internautas, por outro lado, aplaudiram: “Isso me faz sentir orgulhoso, eu gosto de ser representado; reconhece suas raízes.”

Em mais de uma ocasião, ele falou sobre seu pai palestino, um magnata do setor imobiliário (“Ele veio como refugiado para os Estados Unidos”) e a ética de trabalho de sua mãe, a ex-modelo holandesa, (“costumava dizer que há meninas mais lindas e trabalhadoras no mundo e que, se eu não fosse gentil e disposta, outros seriam”). E ela geralmente se envolve: ela falou contra a proibição de Trump sobre a entrada de refugiados e apóia a nova onda de modelos como Halima Aden, que desfilaram com o hijab em fevereiro passado.

Com as roupas de Bella não é diferente. Para o Met gala e o Paris Fashion Week, em junho, escolheu vestidos quase transparentes. “Não é uma declaração de intenções; se eu quiser, vou usar isso. Se não, não. Antes, me importava o que as pessoas pensavam, agora não me importo. Se você está interessado na moda, você aprende que o importante é distinguir a beleza. Meu armário é maior do que o meu quarto. Minha mãe inventou e eu mantenho tudo arrumado e limpo. Tenho muitos sapatos e jeans.”

Glamour e trabalho, o seu Instagram é uma mistura de elementos que, desde a era de ouro de Hollywood, atraíram o público. “O melhor é ser honesta: posto fotos com as quais me sinto identificada. Eu não forço a nada. Tenho uma agenda apertada e isso reflete o que eu faço.” Todo mundo quer copiá-la. Ela e suas amigos, Kendall Jenner ou Emily Ratajkowski. “Bella se conecta com as meninas romanas”, diz Valentina Bruschi, historiadora especializada nesta cidade, com Livia Drusila, esposa do Imperador Augusto, cujo estilo e perfume todos queriam imitar, com a beleza de La Fornarina, filha de um padeiro de Trastevere, que se apaixonou pelo pintor Raphael e pela princesa Cristina da Suécia, que o Papa recebeu com estilo no Palazzo Barberini “Uma entrada triunfal como Hadid fez em maio passado para o lançamento de Goldea The Roman Night: saiu de um frasco de luzes e desceu as míticas escadas da Plaza de España (Roma), fechou aquela noite com uma festa da Bulgari particular.

%d bloggers like this: