Bella Hadid Brasil » Arquivo » Bella Hadid fala sobre depressão, cirurgias e ódio na internet
31.05.18
postado por Beatriz na categoria Bella Hadid
Bella Hadid fala sobre depressão, cirurgias e ódio na internet

Bella Hadid pode parecer que não tem nada para se preocupar, mas a supermodelo que adora Instagram, que é um rosto da Dior Beauty (ela está na frente da coleção Backstage da marca), certamente teve muitos momentos de insegurança.

“As pessoas acham que sou muito confiante, mas eu realmente tive que aprender a ser”, diz Hadid, que admite ter se sentido desconfortável com relação a seus “quadris largos” e “rosto estranho” quando era mais nova. Agora, aos 21 anos, ela não apenas aprendeu a abraçar seus traços distintivos, mas também quer oferecer abraços aos detratores que deixam comentários negativos em seus feeds de mídia social. “As pessoas acham que eu fiz toda essa cirurgia ou fiz isso ou aquilo. E sabe de uma coisa? Podemos fazer uma varredura no meu rosto, querido. Estou com medo de colocar enchimentos em meus lábios. Eu não quero estragar meu rosto.”

Aqui, Hadid fala sobre sua rotina de beleza, naquele tempo que ela tingiu seu cabelo de arco-íris, e o único tratamento que ela nunca tentaria.

Alguém te ensinou sobre beleza quando você estava crescendo?
Eu aprendi sobre a beleza com minha mãe, principalmente em termos de cuidados com a pele. Ela sempre disse que pele boa é muito mais importante do que as coisas que você coloca em cima dela. Meu pai, enquanto isso, nunca quis que usássemos maquiagem, então não fizemos. Eu andava a cavalo e minha irmã [a supermodelo Gigi] jogava vôlei. Na minha família, não era como você aparentava; foi sobre como você competia.

Você se considerou um moleque?

Eu definitivamente era mais moleque do que menina, mas também tinha um lado feminino. Eu usava Dr. Martens com minhas pequenas saias xadrez e meia-calça para a escola. Lembro-me de dar uma reforma para uma das minhas amigas porque ela era tão moleca, mais do que eu. Eu levava as roupas dela na sexta série e foi assim que nos tornamos melhores amigas. Eu aprendi que você pode mudar a vida das pessoas na escola [risos]! Foi aí que encontrei meu amor pela moda.

Qual foi o seu momento de beleza mais louco?
Eu passei por muitas fases. Quando eu tinha 16 anos, eu realmente queria fazer um ponto de tudo o que eu estava tentando fazer, então eu tinha grils (proteses dentárias “falsas” de ouro) antes que fosse legal – eu definitivamente não era legal – e eu tingi meu cabelo de azul por baixo. E eu também tive cabelo arco-íris em um ponto. Foi histérico. Em termos de maquiagem, eu realmente não sabia como fazer nada no meu rosto até que comecei a trabalhar com a Dior e o Peter Philips. Eu não tinha ideia de como misturar ou como fazer minhas sobrancelhas. Eu olho para trás tipo: “Nossa garota, você realmente aprendeu.”

Você teve que superar certos sentimentos de inadequação como adolescente?
Sim. Eu tinha uma cintura pequena e quadris grandes e era meio gordinha. Eu os amo agora, mas eu estava sempre consciente de meus quadris – enquanto minha irmã tinha um pacote completo e era muito atlética. E eu pensava que eu tinha um rosto tão estranho. Lembro-me muito vagamente de ter sido intimidada por causa dos meus complementos.

Como você lida com isso agora quando as pessoas fazem comentários ou dizem coisas negativas?
Levei muito tempo para aprender a não ouvir. Eu desligo meu telefone e lembro que as pessoas ao meu redor são as únicas cujas opiniões eu realmente me importo. Por que eu leria esses comentários? Eles geralmente estão vindo mais para o meu “personagem” do que para o meu rosto, o que é mais doloroso.

Você já respondeu?
Eu não. Aprendi que as pessoas vão odiá-la e não há nada que você possa fazer a respeito, exceto ser você mesmo e amar a si mesmo. Mas eu sinto a energia das pessoas muito intensamente. Muitas vezes eu penso: “Eu só quero conhecer você e dizer que não sou uma pessoa ruim. Você não precisa ser malvado comigo.

Certo, porque é sobre eles, não sobre você.
Eu quero escrevê-los: “Se você está passando por algo, eu quero estar lá para você.” Há, obviamente, algo mais profundo acontecendo. Eu sei que não é sobre mim pessoalmente. Todos nós temos o que superar, e é isso que quero pregar às crianças hoje em dia. Eu passei por uma grave depressão no ano passado, e acho que foi quando eu era mais jovem e estava sendo intimidado pelas crianças na escola. E agora, acho que não deveria ser tão autoconsciente – as pessoas me dizem isso todos os dias – mas é uma coisa pessoal. Todos nós passamos por isso porque somos humanos.

Tradução e adaptação: Bella Hadid Brasil
Fonte: InStyle.com

%d bloggers like this: