anúncio da hospedagem
12.05.20
postado por Beatriz na categoria Bella Hadid
Bella Hadid é capa da Love Mgazine 23

Bella Hadid foi novamente capa da Love Magazine, dessa vez da edição 23. Com direção criativa de Ke Grand e fotografia de Harley Wer a modelo concedeu também uma entrevista para a revista que teve seu lançamento com uma sessão de autógrafos durante a semana de moda. Confira parte da entrevista que foi publicada no site da revista:

A nova estrela de capa do LOVE, BELLA HADID, é uma das supermodelos mais famosas do mundo. Mas, estar em pé na frente da câmera, ficou em segundo lugar ao seu amor por estar por trás dela…

Crescendo, apesar de sua mãe ser uma modelo de sucesso, Bella mostrou pouco interesse em moda ou revistas – ou a menos que cavalos estivessem envolvidos. Seus dois mundos colidiram na forma de sua sela HERMÈS. “Minhas botas Ariat Monaco se encaixaram em mim, que minha mãe me surpreendeu no Natal. Essa foi a única conexão que tive que formar durante a minha infância. Eu estava sempre com meus cavalos. Lembro-me de um amigo de outra cidade que me deu um par de LOUBOUTINS no Natal em um ano e eu fiquei tipo, ‘Onde você usa isso?”

A fotografia, no entanto, foi uma atração criativa e, dos nove aos 17 anos, ela nunca ficou sem uma câmera. “Fotografava meus amigos, construía cenários, fazia minha própria iluminação, cabelo e maquiagem. Mas a maquiagem que fazia era um pouco mais escura e mortal do que as coisas que eu faria agora, haha. Amigos que me ajudavam, mas eu adorava criar momentos e personagens. Era divertido para mim”.

Os tópicos que antes eram tabu agora são fóruns públicos, e Bella recentemente usou sua plataforma para discutir questões de saúde mental por meio de suas próprias experiências pessoais. “Na minha opinião, comecei a modelar muito jovem. Eu ainda estava crescendo e minha confiança não estava totalmente amadurecida. Não me amava ou não pensava necessariamente que era digna de todo o reconhecimento que estava recebendo. Quando eu era mais jovem, via fotos minhas que eu odiava e ficaria mortificada com o fato de as pessoas quererem trabalhar comigo, porque eu era muito autoconsciente”. Sua voz interior era sua crítica mais severa. “Ainda não superei a ser dura comigo, mas cheguei a um lugar espiritual em que me vejo de maneira diferente e com uma luz mais forte. Sei o quanto trabalho e o tempo que dediquei para me tornar o melhor que posso estar neste momento.”

 

LOVE MAGAZINE 23

ir

%d bloggers like this: